• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • Fashion Experience, faça parte da revolução
  • capa face mpt
  • PTM santos
  • IMOVEL1

Fashion Experience, faça parte da revolução

São Paulo, 3 de fevereiro - Com o objetivo de sensibilizar e conscientizar os consumidores quanto às situações análogas à escravidão e os impactos ambientais escondidos na indústria da moda, o Ministério Público do Trabalho, em parceria com as junto com ONGs 27 Million Brasil e Stop The Traffik e com o apoio da Fiesp, viabilizou a instalação Fashion Experience, uma loja temporária cujo objetivo não é a compra dos produtos, mas sim incentivar a sociedade a pensar sobre as origens das roupas e a repensar sobre os hábitos de consumo.

A instalação está montada na calçada em frente à Fiesp e pode ser visitada até quinta-feira, 4/2.

O projeto – Fashion Revolution Brasil, movimento global presente em 83 países que atua na conscientização sobre os impactos negativos da cadeia da moda. Junto com as ONGs 27 Million Brasil e Stop The Traffik, organizações internacionais que trabalham no combate ao Tráfico Humano por meios de prevenção, intervenção e restauração das vítimas, e a parceria do MPT em São Paulo, que destinou reversão de multa de Termo de Ajustamento de Conduta de empresas que utilizaram mão de obra análoga à de escravo em sua linha de produção, e o apoio da Fiesp, a loja é um espaço destinado a sensibilização e reflexão dos participantes em relação ao mercado da moda e sobre a importância da fomentação de uma cadeia de produção sustentável, transparente e socialmente justa para todos os envolvidos.  

Já é do conhecimento o cenário de violações de direitos a que trabalhadores da indústria do vestuário são submetidos: o trabalho escravo, as péssimas condições de segurança nas oficinas de costura e a remuneração, ainda muito inferior à necessária para garantir condições mínimas de sobrevivência. Além do fator humano e social, o atual modelo de negócio, conhecido como fast-fashion, traz graves consequências para o meio ambiente.
 
O elevado e acelerado ritmo de produção e consumo de vestuário e acessórios (geralmente a preços baixos) aumenta consideravelmente o gasto de água, energia e materiais químicos tóxicos, provoca uma significativa pegada de carbono, degrada o solo, usa irracionalmente recursos naturais e gera resíduos e poluição

Fachada da loja Fashion Experience
Fachada da loja Fashion Experience

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos